Etiqueta: Ginkgo biloba

Ginkgo biloba

Ginkgo biloba

Por milhares de anos, as folhas da árvore do Ginkgo biloba têm sido um tratamento comum na medicina chinesa. Nos Estados Unidos, muitos tomam suplementos de ginkgo biloba com o propósito de melhorar a memória e aprimorar o pensamento.

Ginkgo biloba

Ginkgo é uma grande árvore com folhas que existem a mais de 150 milhões de anos. Embora o Ginkgo seja nativo da Ásia, incluindo China, Japão e Coréia, ela chegou na Europa em 1730 e nos Estados Unidos desde 1784.

A folha de Ginkgo é frequentemente tomada por via oral para distúrbios de memória, incluindo a doença de Alzheimer. Também é usado para condições que parecem ser devido à redução do fluxo sanguíneo no cérebro, especialmente em pessoas mais velhas. Essas condições incluem perda de memória, dor de cabeça, zumbido nos ouvidos, vertigem, tonturas, dificuldade de concentração, distúrbios do humor e distúrbios auditivos. Algumas pessoas usam isso para outros problemas relacionados ao fraco fluxo sangüíneo no corpo, incluindo dor nas pernas ao caminhar (claudicação) e síndrome de Raynaud (uma resposta dolorosa ao frio, especialmente nos dedos das mãos e dos pés).

A folha de Ginkgo também é usada para problemas de pensamento relacionados à doença de Lyme, quimioterapia e depressão.

Ginkgo biloba para que serve?

Algumas pessoas usam ginkgo biloba para tratar problemas de desempenho sexual. Às vezes é usado para reverter os problemas de desempenho sexual que podem acompanhar a tomada de certos antidepressivos.

O Ginkgo biloba também é utilizado para problemas oculares, incluindo glaucoma, doença ocular diabética e degeneração macular relacionada à idade (AMD), bem como transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), autismo, doenças cardíacas e complicações cardíacas, colesterol alto, síndrome pré-menstrual (SPM ) e diarréia sangrenta. A folha de Ginkgo também é tomada por via oral para síndrome de fadiga crônica (SFC), esquizofrenia e para prevenir a depressão no inverno, evitando doenças nas montanhas e envelhecimento, controlando o ácido estomacal, melhorando a função do fígado e da vesícula biliar e controlando a pressão arterial. Também é tomado por via oral para tratar asma, alergias, bronquite e distúrbios do sistema nervoso central.

A lista de outros usos do ginkgo é muito longa. Isso pode ser porque esta erva existe há tanto tempo. Ginkgo biloba é uma das espécies de árvores vivas mais longas do mundo. As árvores de Ginkgo podem viver até mil anos. O uso de ginkgo para asma e bronquite foi descrito em 2600 aC.

Na fabricação, o extrato de folha de ginkgo é usado em cosméticos. Nos alimentos, a semente de ginkgo assada, que tem a polpa removida, é uma iguaria comestível no Japão e na China.

Ginkgo biloba como tomar?

Existem diferentes formas de se tomar o ginkgo biloba, iremos apresentar a vocês as formas que você pode consumir esse suplemento.

1 – Cápsulas

As cápsulas e comprimidos de ginkgo biloba são uma excelente alternativa para as pessoas que não querem perceber seu sabor. É recomendado consumir as cápsulas 30 minutos antes de realizar uma refeição ou duas horas após terminá-la. A quantidade de cápsulas recomendadas são de duas a três por dia, dependendo de como for sua alimentação e seu estilo de vida.

2 – Chá

Caso você prefira consumir o ginkgo biloba de uma forma mais natural, é possível consumi-lo através de um chá feito em sua própria casa. Para isto é necessário que você obtenha as folhas secas de ginkgo biloba e as coloque para ferver com água, depois você irá coar a mistura e deixar repousando por cinco minutos. Após isso é só beber, mas não deve passar o número de duas xícaras de chá por dia.

3 – Extrato líquido

Essa é a menos conhecida e popular forma de consumo do ginkgo biloba, ela pode ser consumida em até três vezes por dia, em uma quantidade de 10 a 30 gotas em um copo de água.

Ginkgo biloba benefícios

O ginkgo biloba proporciona diversos benefícios para nossa saúde, veja alguns deles:

1) Demência e doença de Alzheimer: o ginkgo biloba foi usado originalmente para regular o fluxo sanguíneo para o cérebro. Outros estudos revelaram que ele pode proteger as células nervosas danificadas pela doença de Alzheimer. Muitos estudos revelam que o ginkgo biloba pode melhorar a memória e pensamentos em pessoas afetadas pela doença de Alzheimer ou demência vascular.

2) Claudicação intermitente: para pessoas com claudicação intermitente, é muito doloroso andar. Estudos publicados revelam que as pessoas que tomam ginkgo biloba podem caminhar aproximadamente 37 metros mais do que as pessoas que tomam um placebo.

3) Glaucoma: de acordo com um estudo, pessoas com glaucoma que tomaram 120 mg de ginkgo biloba diariamente durante oito semanas perceberam que sua visão melhoraram significantemente.

4) Melhoramento da memória: o Ginkgo biloba é popular como uma “erva cerebral”. Estudos demonstraram que pode melhorar a memória em pessoas com demência. Ginkgo biloba é comumente adicionado a barras de nutrição, refrigerantes e vitaminas de frutas para aumentar a memória e melhorar o desempenho cognitivo.

5) Degeneração macular: é uma doença progressiva e degenerativa do olho que prejudica a retina. É uma das causas mais comuns de cegueira nos Estados Unidos. Os flavonóides encontrados no ginkgo biloba podem ajudar a curar ou aliviar alguns problemas da retina.

Ginkgo biloba em pó

Uma das formas de distribuição do ginkgo biloba é em pó. Elas podem ser misturadas com shakes ou vitaminas para serem consumidas.

Ginkgo biloba chá

O ginkgo biloba é consumido por forma de chá há milhares de anos. Os povos asiáticos já possuem essa prática desde muito tempo e é passada de geração para geração, principalmente no Japão, Coreia e China.

Aqui no Brasil é possível adquirir folhas de ginkgo biloba para fazer seu próprio chá caseiro.

Ginkgo biloba cápsulas

É a forma mais comum e comercializada do ginkgo biloba, isso se deve ao fato dela já vir em uma quantidade certa em cada cápsula, fazendo com que o consumo seja mais apropriado e eficaz para sua saúde.

Ginkgo biloba contra indicação

Mesmo que o ginkgo biloba seja um produto 100% natural, ainda assim seu consumo em excesso poderá causar problemas de saúde.

Ele é contra-indicado para:

  • Pessoas com hipersensibilidade ao extrato de ginkgo biloba L;
  • Pessoas que estão consumindo aspirina, ticlopidina, antiagregante plaquetário e anticoagulantes, por apresentar um risco potencial de provocar uma hemorragia;
  • Mulheres grávidas ou em período de amamentação;

Ginkgo biloba engorda?

Não, isso é um mito que foi criado porque quando as pessoas iniciam o consumo de ginkgo biloba, elas tendem a comer mais, aumentando seu ganho de peso. A realidade é que a ginkgo biloba não engorda, mas sim pode ajudar a perder peso.

Ginkgo biloba emagrece?

Para começar, a planta contém os chamados flavonoides, antioxidantes potentes que indiretamente produzem benefícios que facilitam a perda de peso. Além disso, existe uma teoria que a planta provoca a dilatação dos vasos sanguíneos, e dessa forma tem um aspecto positivo no metabolismo.

Segundo o Dr. Tim Scheett, PhD, praticantes de musculação podem ser beneficiar de Gingko Biloba já que ela aumenta o fluxo sanguíneo para os músculos. Sendo assim, aumenta a oxigenação muscular, e quantidade de nutrientes e os hormônios nos músculos. Mais músculos ajuda o organismo a queimar mais calorias.

Ginkgo biloba indicações

O ginkgo biloba é indicado para pessoas que praticam exercícios físicos e pretendem melhorar seu ganho de massa muscular e reduzir a quantidade de gordura no corpo, mas além disso ele também é indicado para diversos tipos de pessoas que possuem alguma condição física ou mental, como:

  • Ansiedade;
  • Demência;
  • Problemas de visão;
  • Síndrome pré-menstrual;
  • Vertigem e tonturas;
  • Alta pressão sanguínea;
  • Depressão;
  • Disfunção sexual causada por antidepressivos;
  • Perda de memória;
  • Asma;
  • Zumbido nos ouvidos;
  • Esclerose múltipla;
  • Labirintite.

Ginkgo biloba efeitos colaterais

Assim como todo produto que cria alterações em nosso corpo, o ginkgo biloba se consumido em excesso poderá causar os seguintes efeitos colaterais:

  • Dores de cabeça
  • Tonturas
  • Palpitações cardíacas
  • Náuseas
  • Gases
  • Diarréia

Ginkgo biloba memória

Em uma análise, pesquisadores alemães verificaram nove pesquisas usando o extrato de Ginkgo biloba padronizado que se tornou um dos remédios de ervas mais utilizados para demência e comprometimento cognitivo. Eles concluíram que o ginkgo biloba era mais eficaz do que um placebo para melhorar a cognição em pacientes com doença de Alzheimer e demência. Também melhorou as atividades da vida diária para pacientes com Alzheimer. Os pesquisadores sugeriram que o ginkgo biloba pode ser tão bom ou melhor do que outras opções de tratamento para pacientes com demência leve ou moderada.

Uma meta-análise mais recente de 21 ensaios descobriu que, em comparação com os medicamentos convencionais, o ginkgo biloba em combinação com drogas convencionais foi superior na melhoria cognitiva e nas atividades de resultados diários para pacientes com doença de Alzheimer em apenas 24 semanas. Também melhorou o pensamento em pessoas com comprometimento cognitivo leve.

Outra meta-análise publicada no Journal of Alzheimer’s Disease descobriu que uma dose diária de 240 mg de ginkgo biloba foi eficaz para estabilizar ou diminuir o declínio na cognição em pacientes com doença de Alzheimer, demência e comprometimento cognitivo leve. Uma meta-análise japonesa alcançou resultados semelhantes e concluiu que uma dose diária de 240 mg de extrato de Ginkgo biloba é eficaz e segura no tratamento da demência.

E uma série de estudos descobriram que o ginkgo biloba é tão bom quanto a droga donepezil para o tratamento da doença de Alzheimer e da demência.

Em um estudo aleatório, controlado por placebo, pesquisadores italianos dividiram um grupo de pacientes com demência tipo Alzheimer em três grupos. Um grupo recebeu 160 mg por dia de ginkgo biloba; Outro recebeu 5 mg por dia de donepezilo; E o terceiro grupo recebeu um placebo. Após 24 semanas, os pesquisadores concluíram que o ginkgo biloba era clinicamente comparável ao donepezil para a demência de Alzheimer. Eles sugeriram que os médicos poderiam justificar o uso de qualquer tratamento.

Um estudo preliminar de seis pacientes com TDAHmostrou que o ginkgo biloba melhora significativamente os fatores de hiperatividade, desatenção e imaturidade.

Outro estudo de crianças diagnosticadas com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade descobriu que, em comparação com um placebo, adicionando 80 a 120 mg por dia de ginkgo ao regime de medicação para crianças durante seis semanas, melhora a atenção significativamente conforme avaliado pelos pais e professores. E um estudo alemão também confirmou que o ginkgo biloba melhora os sintomas de TDAH em crianças.

Ginkgo biloba para labirintite

A labirintite possui os seguintes sintomas:

  • Dificuldade em focar os olhos por causa de movimentos oculares involuntários
  • Tontura
  • A perda de audição em um dos ouvidos
  • Perda de equilíbrio
  • Náuseas e vômitos
  • Zumbido nos ouvidos

A ginkgo biloba irá atuar na labirintite através das suas substâncias que melhoram as funções dos vasos sanguíneos, resultando na redução desses sintomas.

Ginkgo biloba dose

Não existe uma dose padrão de suplementos de ginkgo biloba. No entanto, em estudos médicos, quase todos os ensaios clínicos usaram um extrato padronizado de ginkgo, padronizado para 24% de glicosídeos de flavona e 6% de lactonas de terpeno. Uma dose comum em pessoas com demência é de 40 miligramas desse extrato três vezes ao dia. Para melhorar a função cognitiva em pessoas saudáveis, estudos utilizaram entre 120 miligramas a 600 miligramas do extrato diariamente.

Não importa por que você está usando ginkgo, os especialistas sugerem que comece com uma dose baixa (120 miligramas por dia) e que cresça gradualmente. É importante consultar seu médico caso as dúvidas persistam.

Ginkgo biloba preço

O ginkgo biloba é vendido em vários formatos, em cápsulas, ervas e pó. Devido a isso sua variação de preço é muito grande, pois além dos formatos diferentes, também são vendidos em quantidades distintas.

De uma forma geral o preço do ginkgo biloba irá variar entre R$20 e R$130 dependendo se for adquirido em cápsulas, as quantidades de mg contidas em cada cápsula, se for em líquido, pó ou ervas.

Ginkgo biloba onde comprar?

O ginkgo biloba é um produto 100% natural por isso ele é facilmente encontrado em lojas de produtos naturais e lojas de suplementos online no formato de cápsula ou em pó.